O evangelho segundo Lucas


Lucas tinha completo domínio da língua grega da época. Seu vocabulário é amplo e rico, e seu estilo, algumas vezes se aproxima do grego clássico, como ocorre logo no prefácio (Lc 1.1-40), ao passo que em outras ocasiões assume um tom bem semítico (1.5 – 2.52), assemelhando-se à Septuaginta (tradução do Antigo Testamento para a língua grega). Seu vocabulário é sensível à cultura e geografia de cada lugar sobre o qual narra fatos passados. Por exemplo, quando Lucas se
refere a Pedro num contexto judaico, emprega uma linguagem mais semítica que nos momentos em que descreve Paulo, num contexto helenístico (grego).

Autoria. Desde os primeiros cânones das Sagradas Escrituras, como o Cânon muratório, o terceiro evangelho do Novo Testamento é reconhecido como de autoria de Lucas, o médico de homens e de almas; o médico amado, como ficou conhecido (Cl 4.14). Irineu, um dos pais da Igreja, já citava o Evangelho Segundo Lucas em suas obras, por volta do ano 180 d.C. Lucas, grande amigo e companheiro de ministério do apóstolo Paulo (2Tm 4.11; Fm 24), é o único autor gentio do Novo Testamento. Embora não tenha sido testemunha ocular da vida de Jesus Cristo, andou com Deus, cheio do Espírito Santo, o qual o inspirou a escrever este Evangelho e o livro de Atos e a servir como missionário até sua morte.

Lucas nos informa que seu trabalho foi beneficiado pela obra de outros (Lc 1.1), que ele consultou várias testemunhas oculares (Lc 1.2), e que selecionou e dispôs as informações com extremo cuidado, sob a direção do Espírito Santo (Lc 1.3), a fim de instruir Teófilo quanto à fidedignidade da fé em Jesus Cristo (Lc 1.4).

Propósitos. O Evangelho Segundo Lucas é especificamente endereçado a Teófilo, cujo nome significa “aquele que ama a Deus”. Entretanto, o Espírito Santo ampliou em muito o alcance dessa obra, destinando-a a todos aqueles que amam a Deus e desejam saber a verdade sobre Jesus Cristo, Seu Filho, nosso Salvador. Lucas trata Teófilo por “excelentíssimo” o que reforça a idéia de que esse livro tinha como principal objetivo um leitor em especial: Teófilo, um alto oficial do império romano que, segundo historiadores renomados, desejoso de conhecer a verdade, patrocinou Lucas nesse projeto e investigação acurada de todos os fatos concernentes à vida e obra de Jesus Cristo; cujo ensino já invadia Roma, convertendo multidões. Na mesma época surgiam vários relatórios falsos sobre Jesus e, tanto Teófilo, quanto o próprio discípulo Lucas, tinham grande interesse em produzir um documento histórico claro e verdadeiro sobre a pessoa e a obra de Jesus de Nazaré, o Cristo.

Embora particularmente destinado a Teófilo, o Evangelho Segundo Lucas se inclina para todos os gentios. O autor revela interesse especial por detalhes médicos (Lc 4.38; 7.15; 8.55; 14.2; 18.35; 22.50). Há grande ênfase nos acontecimentos relacionados ao nascimento de Cristo. Curiosamente, somente Lucas registra a anunciação a Zacarias e Maria, os cânticos de Isabel e Maria, o nascimento e a infância de João Batista, o nascimento de Jesus, a visita dos pastores, a circuncisão de Jesus e Sua apresentação no Templo, detalhes da infância de Jesus e até alguns dos pensamentos íntimos de Maria, mãe de Jesus. Lucas demonstra grande interesse por fatos que se deram com indivíduos: os relatos de Zaqueu ( Lc 19.1-10); do ladrão que se arrepende ( 23.39-43), e nas parábolas do filho perdulário (15.11-32) e do publicano arrependido (18.9-14). É Lucas quem nos relata a história q ); q p ), p sobre o bom samaritano (10.29-37) e do ex-leproso agradecido (17.11-19). Lucas ainda dá especial atenção à disciplina espiritual da oração: falar com Deus (Lc 3.21; 5.16; 6.12; 9.18, 28-29; 10.21; 11.1; 22.39-46; 23.34, 46). O Evangelho Segundo Lucas dá grande destaque às mulheres, algo incomum na época (Veja os capítulos: 1, 2, 7.11-17, 36-50; 8.1-3; 10.38-42, 21.1-4; 23.27-31, 49).

O livro apresenta quatro belos cânticos, conhecidos como: o Magnificat de Maria (Lc1.46-55), o Benedictus de Zacarias (Lc1.67-79), o Gloria in Excelsis Deo dos anjos (Lc 2.14) e o Nunc Dimitris de Simeão (2.29-32). Lucas ainda reflete sobre o contraste da pobreza em relação à riqueza (1.52-53; 4.16-22; 6.20, 24-25; 12.13-21; 14.12-13; 16.19-31). Este é o Evangelho do misericordioso Filho de Deus que oferece Salvação a toda humanidade (19.10).

Data da primeira publicação. Considerando que os últimos capítulos do livro de Atos mostram Paulo em Roma, e que o Evangelho Segundo Lucas foi publicado antes de Atos (At 1.1), podemos concluir que este Evangelho foi escrito entre os anos 59 e 64 d.C., em Cesaréia, durante os dois anos em que Paulo esteve preso ali por pregar a Palavra de Deus (At 24.27).

Anúncios

Sobre Cadu Rinaldi

Teologia e Reino de Deus
Esse post foi publicado em Cadu Rinaldi e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s